« Voltar

Prótese

Existe uma diversidade muito grande de tipos de próteses e materiais empregados na sua confecção. Podem ser divididas em fixas e móveis.

No grupo das próteses fixas podemos separa-las em: blocos, coroas e pontes.

BLOCOS

Restaurações utilizada geralmente em dentes posteriores onde houve grande destruição dentária no qual o uso das obturações convencionais (resinas, amalgamas) deixam de serem apropriadas. Podem ser:

METÁLICO

Possuem boa resistência e proporcionam um bom vedamento periférico quando bem confeccionado. Embora seja um bom material, por ser metálico, tem na estética sua grande desvantagem .

 

 

CERÔMEROS (artglass, solidex, etc)

É um material resinoso reforçado com carga cerâmica que possue resiliência semelhante ao dente. È estético e possui uma adversidade de tons e cores que possibilita restaurar o dente restabelecendo a sua aparência natural.

CERÂMICA

Possibilita uma estética superior à dos cerômeros e também oferece maior resistência à abrasão. Consegue-se obter cores, textura e brilho muito semelhantes ao dente, tornando essas restaurações praticamente imperceptíveis.

Sequência de um caso clínico de colocação de dois blocos cerâmicos

COROAS

São utilizadas nas reconstruções totais do elemento dentário.Assim como nos blocos podem serem totalmente metálicos, ou ainda:

COROA METALOCERÂMICA

Prótese que une as propriedades do metal e da porcelana. Possuem um casquete (estrutura interna) metálico que lhe confere grande resistência ,com um revestimento externo em cerâmica, proporcionando uma excelente estética com cores , textura e brilho muito semelhante ao dente natural.

Ao lado: todos os dentes da arcada confeccionados em metalocerâmica

 

COROA VENNER / METALOPLÁSTICAS

É uma coroa metálica, revestida com material estético apenas na face mais visível do dente. Não oferece uma estética tão boa quanto as metalocerâmicas.

A segunda foto ilustra a substituição das coroas acima por material estético (metalocerâmica. art-glass, cerâmica, inceran etc.)

 

COROAS INCERAN / EMPRESS

São as chamadas coroas em cerâmica pura ou metal-free. Por serem sem metal, oferecem uma estética igual ou superior às metalocerâmicas. Apresentam resistência à flexão superior à da dentina, a do esmalte e também possibilitam uma excelente adaptação marginal.

A esquerda, ponte fixa em metalocrâmica com estrutura metálica interna. A direita coras em cerâmica pura sem casquete metálico.

COROAS EM ART-GLASS / SOLIDEX

São coroas de cerômeros , na cor do dente ,com ou sem casquete metálico,que oferecem uma estética superior às coroas veneer, porém aquem às metalocêramica. Isso porque podem sofrer alterações no brilho e na textura com o passar do tempo.

Ao lado - Modelo com diversos trabalhos em art-glass

 

FACETA DE PORCELANA

São utilizadas para proporcionar uma melhor estética em dentes anteriores que apresentam-se manchados, escurecidos, com grandes restaurações, etc. Para sua confecção é feito um pequeno desgaste por toda face vestibular do dente . Nessa superfície desgastada será aplicada a faceta cerâmica, reformulando a estética do dente, seja na cor, forma, tamanho, etc. Podem proporcionar uma estética tão boa quanto às coroas metalocerâmicas ou cerâmicas, contudo, promovendo um menor desgaste aos dentes .

foto

FOTO ACIMA - Incisivo central amarelado submetido a pequeno desgaste para receber uma faceta cerâmica.

Pontes Fixas e Móveis

A substituição de um ou mais elementos dentários perdidos poderá ser feita através da colocação de implante(s), ponte-fixas ou pontes móveis. Para confeccionar ponte-fixa será necessário submeter os dentes vizinhos às ausências dentárias a um desgaste e/ou outros tratamentos que venham a possibilitar a retenção e fixação dessa prótese. Já com os implantes isso não ocorre. Não é necessário o comprometimento do(s) dente(s) adjacente ao espaço edentule para a fixação da prótese sobre implante. Sem duvida isso confere uma grande vantagem aos implantes perante as pontes-fixas.

Como nas abordagens anteriores, as pontes-fixas podem ser confeccionadas com coroas veneer, coroas metalocerâmicas, coroas art-glass com casquete ou reforçadas com fibras (ribond,etc.) e inceran\empress . No caso do inceran/empress e dos cerômeros com fibras, recomenda-se que o trabalho seja limitado à três elementos.

Ao lado: ponte fixa em inceram (sem metal) de 3 elementos.

 

PONTES MÓVEIS OU PRÓTESES REMOVÍVEIS

Também são peças protéticas utilizadas para substituição de um ou mais elementos perdidos. Nesse caso, são trabalhos removíveis onde muitas vezes não se consegue obter um conforto, estética e segurança tão bons quanto nos trabalhos fixos. Como exemplos temos:

Próteses parciais removíveis à grampo, também conhecidas como roach:. Possuem uma grade metálica para fixar e suportar os dentes artificiais com extensões (garras) em forma de grampos para apoiar e abraçar os dentes vizinhos fixando assim o trabalho.

PRÓTESES PARCIAIS PROVISÓRIAS OU PERERECAS

São confeccionadas em resina acrílica, sem apresentar estrutura metálica como nos roachs, tendo a aparência de uma dentadura parcial. Comparativamente com a anterior,

Oferece melhor estética por não possuírem os grampos metálicos que abraçam os dentes vizinhos, mas por outro lado, muitas vezes não proporcionam uma fixação tão boa quanto à do Roach. Para minimizar esse problema podem ser inceridos pequenos grampos de fio aço para também abraçar os dentes vizinhos melhorando assim a estabilidade da prótese.

PRÓTESE PARCIAL COM ENCAIXE ATTAHMENT

tem como principal objetivo proporcionar uma boa fixação à prótese móvel sem a presença vizivel de grampos. Para tanto, é necessário confeccionar coroas nos dentes vizinhos à(s) falha(s) dentária(s). Essas coroas receberão um sistema de encaixe tipo macho/fêmea que fará a união e fixação da prótese à essas coroas.

PRÓTESES TOTAIS OU DENTADURAS

São dispositivos protéticos utilizados quando há perda de todos elementos dentários. Sua fixação estará diretamente relacionado ao suporte ósseo-gengival onde irá se apoiar.

Com o passar dos anos, é fisiologicamente natural ocorre uma reabsorção óssea que irá reduzir e, muitas vezes, deficultar bastante a estabilidade da prótese. Para contornar esse problemas podemos utilizar dois ou mais implantes para proporcionar fixação e melhor estabilidade às dentaduras (veja implantes).